quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Governança corporativa e empresas familiares

Lizianne Porto Koch – sócia da Koch Advogados Associados

Atualmente, a governança corporativa é um dos temas mais recorrentes na área empresarial, especialmente quando se trata de sociedades anônimas e/ou empresa familiar. A matéria vem ocupando crescente destaque, pela exigência, cada vez maior, da criação de mecanismos de garantia para que os administradores e controladores ajam sempre de acordo com o interesse de todos os acionistas.
Entretanto, o termo Governança Corporativa remete naturalmente os empresários a uma ideia de burocracia e engessamento, algo que, na prática, não é tão rigoroso em alguns aspectos, mas adequado à realidade e ao tamanho de cada empresa.

Seus princípios aplicam-se a qualquer tipo de organização, independentemente do porte, natureza jurídica ou tipo de controle.

A Governança é o sistema pelo qual as sociedades são dirigidas e monitoradas e envolvem o relacionamento entre Acionistas, Conselho de Administração, Diretoria, Auditoria Independente e Conselho Fiscal.

As boas práticas se convertem em recomendações objetivas ao alinhar interesses diversos com a finalidade de preservar e agregar valor à organização, facilitando seu acesso a recursos e contribuindo para sua perpetuidade.

Essas vantagens administrativas, além de trazer benefícios econômicos reais, ajudam a desmitificar a ideia de que as empresas familiares tendem a desaparecer na geração seguinte.
Veja a matéria original no site do Jornal do Comércio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário.